Convite: Missa de Envio de Pe. Antônio Maurílio



18 dezembro, 2012


A Diocese de Caratinga, através de seu Exmo e Rev. Bispo, Dom Emanuel Messias de Oliveira, juntamente com todo o seu presbitério e a Paróquia de São Sebastião de Tarumirim, têm a honra de convidar V.Exa e sua  família para a missa de envio de Pe. Antônio Maurílio de Freitas, paras terras de missão na Diocese de Três Lagoas/MS, concretizando a Primeira Ação Missionária realizada pela Diocese de Caratinga.



COMPARTILHE ESTA PAGINA


Deixe um comentário

Current month ye@r day *

 
   
 
 
  Dom Luiz divulga mensagem de final de ano aos Diocesanos
Queridos diocesanos, Mais um ano se vai e, com ele, o empenho, a dedicação e o desejo de acertar, de progredir, de se realizar. Neste findar de 2015 fazemos o balanço e nos damos conta de que muitas coisas foram feitas, mas percebemos que nem tudo foi como deveria ou como gostaríamos que fosse. Diante disso, o que fazer? Lamentar? Deixar o baixo astral tomar conta? Creio não serem as melhores alternativas. Melhor é lembrarmos de que Deus nos oferece a oportunidade de um novo ano, que é tempo da graça do Senhor. A experiência adquirida deve nos projetar com ânimo e esperança para o novo ano que nos chega. Conclamo a todos vocês, meus queridos irmãos e irmãs, que nos lancemos no ano que se aproxima com disposição e confiança em Deus e nos irmãos, buscando fazer dele tempo de graça e salvação. Deus, por meio do Papa Francisco, nos convida a viver o ano da misericórdia: de 08/12/2015 a 20/11/2016. Um tempo para (re) descobrirmos o rosto misericordioso do Pai, revelado no seu Filho Jesus. Somos chamados a nos deixar envolver pela misericórdia de Deus que, no seu Filho Amado, nos agraciou com Bênçãos espirituais de toda a sorte (Cf. Ef 1,3s). Entregou-se totalmente para nos resgatar das garras do pecado e da morte. Ele, que não se envergonhou de nos chamar de irmãos (Cf. Hb 2,11). Ele, que sendo de condição divina não se apegou ao seu ser igual a Deus, mas esvaziou-se inteiramente de si, fazendo-se obediente e obediente até a morte e morte numa cruz (Fil 2,6ss). Ele, o Bom Pastor, que dá a vida pelas suas ovelhas, a fim de que elas tenham vida e vida em abundância (Jo 10,10ss). Caríssimos, o Papa, através da bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, Misericordiae Vultus, aponta-nos meios para experimentarmos e nos impregnar da misericórdia do Pai. Para isso, em todas as dioceses do mundo, haverá uma igreja, de preferência a igreja catedral, onde terá a porta Santa. Será lugar de peregrinação dos fiéis durante o ano todo, para oração pessoal e comunitária. Diz o Papa: “Cada pessoa deverá fazer, segundo as próprias forças, uma peregrinação. Esta será sinal de que a própria misericórdia é uma meta a alcançar  e que exige empenho e sacrifício. Por isso, a peregrinação há de servir de estímulo à conversão: ao atravessar a Porta Santa, deixar-nos-emos abraçar pela misericórdia de Deus e comprometer-nos-emos a ser misericordiosos com os outros, como o Pai o é conosco” (MV 14). O tempo da graça do Jubileu da Misericórdia será naturalmente caracterizado pela possibilidade de obter a indulgência plenária através de alguns exercícios de piedade, como dispõe o Papa: “É importante que este momento esteja unido, em primeiro lugar, ao Sacramento da Reconciliação e à celebração da santa Eucaristia com uma reflexão sobre a misericórdia. Será necessário acompanhar estas celebrações com a profissão de fé e com a oração por mim e pelas intenções que trago no coração para o bem da Igreja e do mundo inteiro”. Continua o Papa: “Viver a indulgência no Ano Santo significa aproximar-se da misericórdia do Pai, com a certeza de que o seu perdão cobre toda a vida do crente. A indulgência é experimentar a santidade da Igreja que participa em todos os benefícios da redenção de Cristo, para que o perdão se estenda até às últimas conseqüências, aonde chega o amor de Deus. Vivamos intensamente o Jubileu, pedindo ao Pai o perdão dos pecados e a indulgência misericordiosa em toda a sua extensão” (MV 22). Que todos nós nos empenhemos e nos dediquemos, de fato, nesta proposta que nos vem de nosso Mestre e Senhor: “Sede perfeitos como o Vosso Pai Celeste é Perfeito”. Um Santo e Abençoado natal e um feliz ano novo a todos!!! Dom Luiz Gonçalves Knupp  Veja mais... →
  Jubileu da Misericórdia: Diocese convida os Católicos para a confissão
Em preparação para o início do Ano da Misericórdia, de quinta a sábado (10 a 12/12) será realizado na Catedral Sagrado Coração de Jesus, o Tríduo da Misericórdia. Neste período, os Padres da Diocese de Três Lagoas estarão à disposição da comunidade para atender confissões. O Jubileu Extraordinário da Misericórdia, ou Ano Santo da Misericórdia, teve início nesta terça-feira (8/12) quando o Papa Francisco celebrou a Missa de abertura da Porta Santa na Basílica de São Pedro em Roma e será concluído no dia 20 de novembro de 2016, Festa de Cristo Rei. É chamado de extraordinário porque o jubileu acontece a cada 50 anos e o último foi realizado na passagem do ano 2000. Porém, diante da violência e o descaso com a vida que o mundo vive, o Papa Francisco viu a necessidade de convocar o Jubileu e, assim como o Sermão da Montanha, pedir para que as pessoas sejam “Misericordiosas como o Pai”. Segundo o Bispo da Diocese de Três Lagoas, Dom Luiz Knupp, este período traz uma proposta particular para cada cristão. “O Jubileu nos provoca para termos uma mudança radical, para nos convertermos e praticar a misericórdia. Sabemos que não é fácil mudarmos os hábitos, mas, espera-se que ao longo de um ano praticando o amor e a caridade, ela faça parte do nosso cotidiano e assim, teremos a graça de vivermos a plenitude da misericórdia divina”, explica Dom Luiz. Os Padres da Diocese de Três Lagoas estarão à disposição da comunidade para atender as confissões durante Tríduo da Misericórdia, que será realizado de 10 a 12 de dezembro na Catedral Sagrado Coração de Jesus. Confira a programação: Quinta-feira (10/12) – Das 16h às 21h Sexta-feira (11/12) – Das 16h às 21h Sábado (12/12) – Das 8h às 11h e das 14h ás 17h30. Missa de abertura da Porta Santa A celebração será realizada no domingo (13/12) às 8h com início no Colégio Dom Bosco – Unidade II (nos fundos da Catedral). De lá, sairá uma procissão em direção a porta central da Catedral Sagrado Coração de Jesus. Já na igreja, haverá a conclusão da Celebração Eucarística, que será presidida pelo Bispo Dom Luiz Knupp com a participação do clero diocesano. Por Pascom Diocesana  Veja mais... →
  Representes da Diocese de TL participam de formação sobre a reforma do processo de nulidade matrimonial
Com o intuito de favorecer o bem dos fiéis e em cumprimento à solicitação do Papa Francisco, descrito na Carta Apostólica em forma de Motu Proprio “Mitis Iudex Dominus Iesus”, representantes do Regional Oeste I, incluindo o Padre Rogério Fernandes Gomes e o Dr. Armando Jesus Gouvêa da Diocese de Três Lagoas, participam na Faculdade de Direito Canônico São Paulo Apóstolo, em São Paulo, de uma formação sobre a reforma do Código de Direito Canônico referente à nulidade matrimonial. As novas diretrizes reforçam o acolhimento da Igreja Católica aos fiéis que se casaram e depois se separaram, formaram uma nova família e desejam retornar à comunhão da Igreja. Assim, o processo visa saber se houve ou não sacramento, ou seja, as pessoas não são julgadas. Apesar das mudanças processuais, o Santo Padre deixou claro que não houve qualquer alteração quanto à solidez do Sacramento do Matrimônio, ou seja, “Não separe, pois, o homem o que Deus uniu” (Mc 10,9). O processo busca a nulidade matrimonial e não anular um sacramento válido; em outras palavras, a Igreja não anula sacramento, mas, em alguns casos ela declara que ele não existiu, seja em razão de uma falha de consentimento ou por um impedimento não sanado, conforme prescrito no Código Canônico. Entre os novos procedimentos está aquele em que, em casos de nulidade evidente, o próprio Bispo Diocesano, depois do procedimento instaurado, poderá decretar a nulidade. Anteriormente, o processo era julgado pelo Tribunal Eclesiástico e a sentença deveria, obrigatoriamente, ser confirmada por um Tribunal de Segunda Instância. Assim, o que deseja o Papa é favorecer “não a nulidade dos matrimônios, mas a rapidez dos processos”. O Curso de extensão sobre o Motu Proprio “Mitis Iudex Dominus Iesus” encerra na quarta-feira (18/11). Câmara Eclesiástica da Diocese de Três Lagoas A Câmara Eclesiástica da Diocese de Três Lagoas foi criada por Dom José Moreira Bastos Neto, já falecido, e recepciona os casos de nulidade das 10 cidades do território diocesano. Atualmente, sob decreto de Dom Luiz Knupp, a Câmara conta com três Juízes Instrutores: Padre Rogério Fernandes Gomes, Diácono Roberto Rabelati e o Dr. Armando Jesus C. Gouvêa. O atendimento inicial aos interessados é realizado pelos padres em suas próprias paróquias e, posteriormente, se for um caso de possível nulidade, encaminhados à Câmara. Sobre a Diocese de Três Lagoas A Diocese de Três Lagoas (Dioecesis Trilacunensis) é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica com sede episcopal em Três Lagoas (MS). Foi criada pelo Papa Paulo VI em 3 de janeiro de 1978. Abrange um total de 10 cidades (Três Lagoas, Selvíria, Paranaíba, Aparecida do Taboado, Água Clara, Brasilândia, Chapadão do Sul, Santa Rita do Pardo, Inocência e Cassilândia), e contempla 15 Paróquias com mais de 108 capelas/comunidades. Por Diácono Roberto Rabelati – Chanceler da Cúria Diocesana de Três Lagoas  Veja mais... →